Reciclar Garrafas PET?

Reciclar garrafas pet é um tema controverso, penso. Explico os motivos.

reciclar garrafas-pet

Reciclar Garrafas PET

Foi-nos solicitado que enviássemos algum material para a Escola de nossa pequena para que eles aprendam a fazer alguns artefatos com objetos usados. Reciclagem ou reaproveitamento, creio que seria a melhor forma de se referir a isto. Além do aprendizado, com certeza.

Pois teremos de ir ao mercado comprar algum produto que venha em garrafas PET, que foi um dos materiais solicitados, descartar o conteúdo e entregar os vasilhames na Escola.

Alguém estranhou isto? Teremos de ir comprar? Como assim, se todo mundo compra alguma coisa que venha neste tipo de embalagem?



É que nós temos uma visão um pouco distorcida da realidade. Ou uma visão um pouco fora de padrão. Nós não usamos refrigerantes. Nós não usamos garrafas PET. E por que motivos? Ou, perguntando de uma maneira que já nos foi perguntado: em que mundo Vocês vivem?

Nós vivemos num mundo em que as embalagens plásticas (sacolinhas de supermercados, garrafas pet, etc) são considerados lixos! E que podem ser reciclados. Até aqui tudo bem, ok? Parece até que estamos no mesmo mundo.

E como este lixo pode ser reciclado, campanhas são feitas para que as pessoas selecionem o lixo para que a reciclagem se torne mais fácil. Creio que tudo bem, também.

Então vamos considerar: nós produzimos a partir de uma fonte não renovável (petróleo) um produto e depois o reciclamos para que o meio-ambiente não seja muito prejudicado.

Pois nosso pensamento é: se não produzirmos a garrafa pet, não gastaremos a energia para isto. Se não gastarmos esta energia, sobrará energia para uma finalidade melhor.

Se não produzirmos a tal garrafa pet, não precisaremos  reciclar. Menos energia ainda será necessária em função da mesma garrafa. Que não terá sido produzida.

Estranho pensamento, concordam? Como alguém vive sem consumir produtos que venham nas garrafas pet?

Pois isto é mais um fato estranho, realmente. Vamos a ele:

Dizem que os refrigerantes não fazem bem à saúde. Que engordam, que tem aditivos alimentares problemáticos, tóxicos, que causam ou poder causar câncer, etc, etc. E então a indústria alimentícia (pois chamam a isto de alimento) usou da criatividade e produziu os refrigerantes zero, os light, os diet… e outros quetais que desconheço.

E me pergunto: se o refrigerante não faz bem para mim, porque eu o consumiria? Então ao invés de trocar por um tipo alternativo e também prejudicial, suprimo este item de minha lista de necessidades para viver. E vivo muito melhor!

Mas onde gostaria de chegar é neste ponto: se o refrigerante engorda, causa celulite, mais alguns males que não importam ser enumerados aqui, por que motivos alguém consome isto? Ou mais direto: por que Você coloca dentro de seu corpo algo que lhe é prejudicial?

Mais: se o refrigerante alternativo (zero, light, diet, etc) causa menos estragos, mas também causa estragos, por que motivos alguém troca o muito ruim pelo ruim?

Se tudo isto vem em embalagens que precisam ser recicladas sob pena de causar grandes estragos no meio ambiente, por que motivos as pessoas compram este tipo de alimento neste tipo de embalagem?

E ainda mais uma pergunta: depois de reciclar a garrafa pet fazendo artesanato ou camisetas, por exemplo, a seqüência qual será? Esclarecendo: o artesanato será novamente reciclado quando não cumprir mais sua função?

Ok, disse em algum lugar do texto que não se deve reciclar? Claro que não! Que se recicle, já que não há outra maneira. Mas que se pense  em não produzir o que não é necessário e que polui. Seria mais sensato?

São perguntas de respostas complicadas? Pois não precisam responder, eu só queria, na verdade, entender.

Mas aceito comentários, participações, endossos, contestações. Na boa.

.

PS.: Pois saímos agora a pouco, eu e nossa filhota para irmos ao mercado comprar os tais refrigerantes em garrafas pet. Eis que fui prestando atenção pelo caminho, em coisas que nunca olhamos. Encontrei ao longo da via, jogado nos passeios, 9 garrafas pet como as solicitadas. Trouxe-as para casa, lavei, escolhi as melhores e descartei na lixeira (separadas) as demais.

Até que foi bem produtiva a tarefa da Escola. Pudemos limpar um pouquinho a cidade.

.

Imagem: Gláucia Goes

4 Comments

  1. Dina M M Doffini disse:

    Concordo plenamente…

    • Roberto Lima disse:

      Olá Dina. Grato pela participação.

      • É, realmente o processo de reciclagem no Brasil é muito confuso, na verdade algumas formas praticadas são paliativas, concordo que o melhor caminho é consumir moderadamente e em seguida não consumir, existe um processo de conscientização que envolve o coletivo (sociedade) e o individual ( cada um em sua casa/família). Sou artesã, reciclo e vivo isso na pele, parei de beber refrigerante a mais ou menos 2 anos, mas, minha família consome. Consegui em minha casa que eles consumam apenas nos finais de semana e/ou em festas, tenhos introduzido sucos artificiais e naturais cada vez mais, e reconheço que é uma tarefa complicada. Em casa porque o paizão ainda não aderiu e as crianças gostam. Na sociedade ainda é mais complicado porque não posso ditar regras nas casas das pessoas, e onde vamos eles nos oferecem refri e quando recuso e aceito água não posso simplesmente querer que todos eles façam o que sei que é o certo. Creio que esta situação está longe de ser resolvida, as industrias produzem mais porque estão vendendo cada vez mais, o mundo esquenta e as pessoas querem se refrescar imediatamente. Em uma época que o mais importante é: “o eu e o agora” não nos preocupamos com o depois. Para os artesãos recicladores sempre existirá matéria prima que ainda é viste e recebida como artesanato escolar e esse trabalho de pesquisa que resulta em artesanato simplesmente retarda o material que não é valorizado e retorna ao lixo. Afinal ninguém quer ficar com lixo reciclado em casa.

        • Roberto Lima disse:

          Drucila, grato pela participação.
          Realmente a cultura do ‘eu e o agora’ é um problema da sociedade atual.
          Claro que não podemos interferir na vida dos outros. Mas creio que podemos dar o exemplo e fazer com que entendam o motivo de nossas opções.
          E se não fiz no texto tal comentário, farei agora: nada tenho contra a reciclagem! Muito menos quando feita pela transformação em artesanato ou arte. De toda maneira, sigo dizendo, a reciclagem não pode ser usada como apoio à produção de bens que seria melhor não existirem.
          Ou seja: para que garrafa PET? Para que tanto saquinho plástico? Por que as empresas ainda não são responsáveis pela coleta de seus lixos?

2 Trackbacks

  1. Sorteio de livros, Reciclagem cultural

    […] cultural. Esta é a campanha ou a idéia. Que aliás surgiu a partir da escrita do artigo de ontem Reciclar garrafas PET?, que nos levou a pensar sobre a questão da reciclagem em […]

  2. O melhor do IVivaz neste primeiro semestre

    […] 1. Reciclar garrafas PET? […]

Deixe uma resposta